terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Ausência



Estou cultivando amor juntamente aos fios do meu cabelo, me disseram que assim seria mais fácil. Não me assustam as proporções exageradas quando paro na frente do espelho, estão crescendo, você vai ver, mesmo me cegando durante vários momentos, os deixo ali, quase me tapando a visão. E quando sinto as pontas batendo em meus olhos, jogo a cabeça para a direita, deixo a saudade espremidinha em um pequeno espaço, aquecida, envolvida nos tufos de cabelo. 
Não entendo sobre minhas caras, aquelas que você insiste em dizer que fiz. Não compreendo sequer sobre a distância da sua cama para o abajur, eu não estou aí. 
Deixe então que eu pratique diariamente com você meus dramas, o que mais, além disso, eu poderia fazer? 
Continuo lendo seu único email até conseguir dormir. E mesmo que o poema não seja seu, encarno o personagem, te coloco bem ao meu lado, como em todas as noites deveria ser. 


Ouvindo: Caetano Veloso - Coração vagabundo

Texto por NanaCaê

2 comentários:

Rê Lopes disse...

A tristeza sempre fez bem a você por um motivo: te deixa muuuuito inspirada! Lindo texto amiga, mas desejo que essa inspiração vá embora logo :)

Carol Ornellas - Caronella disse...

Se não fosse pelos sentimentos que te fez escolher esse texto para postar, eu diria que ele é lindo. E é, ele é, eu sei.

que tudo passe :)